terça-feira, 30 de março de 2010

Irmandade Cósmica

foto: Mario André Coelho de Souza - 1972
A primeira vez que eu escutei que a humanidade evoluí em ondas e que as pessoas reencarnam em grupo foi por volta de meus 17 anos.
Existia em minha casa paterna uma leitura sagrada do cosmos e não uma visão meramente cartesiana ou dogmático-religiosa. Longe disso.

Pelo foto de eu ser muito sociável e agregador, tive oportunidade de conhecer muita gente. Alguns passaram e outros, mesmo sem uma constante no meu dia-a-dia, ficaram para sempre.
Eu percebia que, com algumas pessoas, as relações tinham cara de reencontro e com outras não. Era estranho, pra mim, que algumas relações eram fluídas, limpas e rapidamente estávamos construindo algo juntos.
Comentei isso com minha mãe e ela me disse que ao longo da nossa vida vamos nos reconectando com nosso grupo espiritual e, dessa forma, retomando as atividades de crescimento espiritual que nos era pertinente.
Ao ouvi-la tive a certeza de que se me desvendava uma grande verdade. Acredito nela até hoje.
No início dos anos setenta eu me relacionava com um grupo muito especial, pessoas de idades diferentes, com vivências diferentes, porém com valores muito semelhantes. Todos brindavam o grupo com algum tipo de sabedoria e, com certeza, crescemos muito nesse período.

Os mais significativos (pelo menos pra mim) ainda se contatam de tanto em tanto e sabemos um o paradeiro do outro.
Um desses irmãos cósmicos é o Dedéco - Mário André Coelho de Souza. Passamos longos períodos juntos e outros, igualmente longos sem ter notícias um do outro (embora soubéssemos, mesmo que vagamente o que o outro estava passando e fazendo). Difícil de explicar.
Por uma dessas maravilhas dos tempos modernos Dedéco me achou no orkut e retomamos um contato que espero se faça permanente (a gente sempre quer isso - mas cada um tem um caminho ou escolheu um caminho para trilhar).
Outro dia ele me mandou uma foto de 1972 obtida por ele. Nela está Pedro Pires e eu quando tentávamos fazer um table-top para contar a história do Rádio no qual o personagem era o inventor - Padre Landel de Moura.

4 comentários:

Carina Kunze disse...

esse moço crespinho era tu? nossa, muito parecido com um amigo meu...

Luísa Alves disse...

QUe saudade!

Passa lá no meu mundo de vez em quando. Cad~e mais um churrasco dos formandos 2009/2?!!

Bj, professor inesquecível! :D

Vicky disse...

reencontro cósmico, sem dúvida...

saitica disse...

Zeus fio de linha